segunda-feira, 23 de junho de 2008

Enchente doméstica.

Essa idéia é uma espécie de pesadelo futurista, ideal para jogos de um dia só. Os personagens morarão em uma "casa do futuro" dessa em que tudo é controlado por computador. Podem até ser uma família, mas o ideal seria uma república com vários jovens, cada um trabalhando em uma área ou colegas de empresa mesmo.
O pesadelo começa em uma noite, em que um mecanismo básico da caixa d'água falha, e a água começa a vazar e inundar a casa. Os personagens não acordarão de cara, o som metálico de janelas de segurança se fechando vai despertá-los. A água interferiu no sistema elétrico da casa, ativando o sistema de segurança que tranca toda a casa com placas metálicas reforçadas e desabilitando toda a eletricidade da casa na sequência.
É isso: um lar transfornado em uma caverna escura e o nível de água subindo a cada minuto. Um pouco de água sai pelas portas e janelas lacradas, porém, está entrando mais água do que saindo.
A solução: eu não sei!
É recomendável que o mestre-de-jogo estude com antecedência a estrutura de casas, seus encanamentos, lajes e fiações elétricas; para poder lidar com os improvisos dos personagens nesse jogo.
Depois de um pouco de desespero, os personagens começarão a tentar várias fugas, quebrar o teto com uma cadeira, pedir socorro pelo celular, desparafusar a grade do ar-condicionado, etc.
A brincadeira é descobrir algum motivo para as primeiras tentativas falharem (falar q esse material é reforçado/isolado/quebrado, rolar os dados para um teste de qualquer coisa e contar que não deu certo, sabe como é...), até que, lá pela terceira tentativa, dependendo da empolgação dos jogadores, o plano funciona e eles escapam do lar, doce, lar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário