quarta-feira, 27 de agosto de 2008

O dilema de Harvey Dent.

Colocar os jogadores em dilemas que envolvem os conceitos morais de seus personagens é diversão garantida.
Enquanto mestra, você fica na espectativa de colocar o jogador naquela situação para ver como ele vai lidar com a situação.
Você, por exemplo, jogando como Harvey Dent na trama do filme "Cavaleiro das Trevas", faria o que se recebesse a seguinte carta:

-x-x-x-

Promotor Dent;

Faço parte da equipe do Tenente Gordon, e um dos capangas do Coringa me fez uma proposta para te sequestrar durante um transporte de emergência.
Estou com minha mãe doente no hospital, e nenhum ato heróico de minha parte vai ter reconhecimento o suficiente para pagar o tratamento caríssimo dela.
Se eu não aceitar essa proposta, estarei condenando-a a morte.
De forma alguma estou tentando extorquir o senhor, pois sei que suas posses são incapazes de tratar esse tratamento e a promotoria nunca aceitaria tal tipo de acordo.
O que proponho é o seguinte: Aceitarei a proposta, receberei o dinheiro do Coringa, mas assim que tiver todos os detalhes sobre seu sequestro, passarei essas informações para a equipe do Tenente Gordon, permitindo que os planos futuros do Coringa sejam derrubados.
Sei que no momento o Coringa está preso, mas sei também que ele está com vários contatos ativos no submundo criminoso de Gothan.
Se eu oferecer essa informação, esses contatos do Coringa perceberão com facilidade que eu os traí, e que na sequência, eles matarão a mim e até a minha mãe com facilidade, uma vez que essa quadrilha do Coringa já matou 6 policiais, um comissário e uma juíza.
Depois de lhe passar essas informações, a única coisa capaz de me dar uma chance de continuar viva seria a morte do Coringa.
É isso a única coisa que lhe peço, promotor Dent: assim que eu lhe passar todos os detalhes do seu sequestro, o Coringa deve ser executado.
Posso estar me prejudicando muito em lhe dirigir essa carta, mas confio que o senhor tomará a decisão correta.

Detetive Ramirez

-x-x-x-

E aí? Levando em consideração todos os fatos que você já conhece do filme, e todos os detalhes desta carta, o que voce faria se fosse o promotor de justiça Harvey Dent?

8 comentários:

  1. Eu acheitaria!
    Porque antes de receber a carta eu teria a ideia de prender, mas sabia que não adiantaria, e depois da explosão o coringa poderia ser usado de exemplo, se falhasse em pegar quem sou o "cachorro louco".

    Mas bem que se pensar certo, era mais provavel prender o coringa de forma incomunicavel!

    ResponderExcluir
  2. De acordo com o que vimos no filme, Harvey Dent neste momento jamais teria aceitado esse acordo. Ele tinha sua própria trava moral (a metáfora da moeda com duas caras), que o impelia, assim como ao Batman, a acreditar no sistema judicial. E essa crença o faria, nessa situação, a agir exatamente como agiu na situação do filme: acreditar na Lei.

    Essa situação em jogos é sempre complicada. Certa vez, mestrei uma aventura que tinha o personagem Fantasma (sim, aquele mesmo, com roupa rocha, cueca listrada e simbolo de caveira), e ele NAO MATAVA. Nas situacoes em que o grupo se colocou, era sempre complicado para o personagem, ele constantemente se via com o famoso dilema de seus ideais.

    A aventura acabou prematuramente, então não vi como o persoganem acabou lidando com isso. Até o ponto em q fomos, ele obedeceu suas travas morais, mas não sei se isso seria possível o jogo todo. Acredito que impreterivelmente, em algum momento, ele teria q matar.

    Assim, não afirmo que Dent JAMAIS mataria. Acredito que diante de uma ameaça a Rachel em que ele PUDESSE fazer algo, ele teria feito sem pestanejar.

    UMa trava moral só é arrebentada em detrimento de uma mais forte. E a mais forte de Harvey, no filme, é Rachel. Tanto o é que é por causa da morte dela que ele se torna o Duas Caras, abandonando seus principios e assumindo a alcunha pela qual o chamavam os policiais corruptos que ele queria tanto pegar.

    ResponderExcluir
  3. Harvey na minha opinião não mataria o coringa, o senso de justiça dele o impede de cometer tal ato, pode-se usar como exemplo o interrogatório que ele faz em um dos capangas do coringa no filme, vale lembrar que nessa hora a vida que estava em jogo era a vida da Rachel.
    Harvey, diferentemente do Duas Caras, não tem a opção de tomar outra atitude se não a qual ele acredita ser a mais correta e justa pois a sua moeda sempre vai decidir por essa alternativa.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Só mais uma coisinha q passou despercebida e não posso deixar de comentar:

    EXPECTATIVA É COM "X" CARALHO!!!! aHUAHUhaUhaUhAUhAUhaa

    ResponderExcluir
  7. Bonito, estampando palavrão nos comentários...
    Já o "eSpectativa", então; passou despercebido e não prejudicou o entendimento; é uma grande prova de que a língua portuguesa é cheia de viadagens desnecessárias.
    Não vou consertar não, vou deixar lá como protesto pela falta de amarração da nostra lingua prutugueza.

    ResponderExcluir