segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Da tela para a mesa

Tem muito jogador de RPG que joga mesmo quando está assistindo um filme, procurando soluções para a trama e pensando na melhor maneira para o protagonista resolver a situação.
Quem assiste um filme (lê um livro, ouve uma história,...) de maneira ativa, pode criar vários finais alternativos para a mesma situação.
É por isso que nem sempre dá certo transformar em RPG a trama de um filme; os jogadores não ficarão presos na trama original, e o mestre-de-jogo precisará conhecer muito bem o cenário de tal filme para dar continuidade à essa nova aventura sem ter que forçar os jogadores a jogar de acordo com a história original.
Olha só o que um grupo inspirado de jogadores poderia fazer com a trama de "O Senhor dos Anéis":



Se gostou do filme, faça uma aventura baseada no cenário, não nos personagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário