segunda-feira, 30 de maio de 2011

Nunca nos cinemas...

Super
Esse é um que nunca vai passar nos cinemas brasileiros.
E quando chegar nas locadoras, nem vai ter muito alarde a respeito.
Mesmo porque, depois do Kickass, fica difícil acreditar que outro filme de super-herói sem poder algum possa te impressionar tanto.
Mas "Super" consegue.
É um excelente trabalho de atores, com personagens marcantes, e um roteiro sem medo de ser feliz.
Provavelmente, quando algum marketeiro da indústria do cinema viu a obra, ele deve ter falado para o diretor: "Olha, aqui exagerou um pouco; para agradar o público, você tem que mudar isso; e tem que maneirar um pouco nessa cena para o seu filme fazer sucesso nas bilheterias." E o diretor deve ter respondido: "Ah é? Assim não tá bom? Então vai dar palpite no filme da ####queopariu porque isso aqui não é filminho pra #####, seu filhada####!
Como já foi dito antes, duvido que alguém seja macho de levar esse filme aos cinemas do Brasil, portanto, se você não correr atrás, vai ter que dar sorte de encontrar esse filme nos fundos de alguma locadora.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Game Online: Hidden Dimensions

Hidden Dimensions é um card game de combate de naves espaciais.
A base das regras é baixar cards geradores de energia para poder baixar naves de combate para destruir a base adversária.
Alguns diferenciais deste card game é a energia cumulativa (o que não for utilizado em um round fica guardado para o próximo) e o posicionamento das naves (a nave só enfrenta a nave que estiver na frente dela, e se não tiver ninguém, o dano vai direto na base do adversário).
Além disso, existem vários efeitos apelões para cada tipo de nave, que exigem muita atenção dos jogadores para cada nave invocada.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

segunda-feira, 23 de maio de 2011

IRPGCast 74: Descapetalização do RPG

O cômodo preconceito e as falsas denúncias contra o RPG são um assunto sério.
Nas últimas semanas, o site "Idéias para Jogos de RPG" fez uma infeliz tentativa de brincar com esse tema, o que resultou no descontentamento de grande parte da comunidade roleplayer nacional.
Movido por um sincero arrependimento, essa edição do IRPGCast buscará uma legítima forma de eliminar toda a nociva ignorância que ainda existe no Brasil com relação aos feitos e efeitos do RPG.


Aguardamos as opiniões de todos os ouvintes nos nossos comentários para orientar as futuras atrações do IRPGCast nessa sua nova fase.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Metáfora de um Mestre de Jogo

A webserie Booth at the End não fala de RPG, mas parece um sinistro live action de RPG.

Um homem misterioso, sentado no último banco de um café, oferecendo oportunidades para as pessoas realizarem seus desejos, pedindo que, em troca, sejam feitas ações diretas e sem relação alguma com o pedido.
Serve de inspiração para um NPC interessante em qualquer cenário, porém, precisa de algum desenvolvimento por parte do mestre de jogo para decidir como tais "trocas" funcionam, se são pactos com o tinhoso ou intervenções angelicais.
Ou alguma grande e inteligente armação humana.


quinta-feira, 19 de maio de 2011

Falhas na criação de um cenário mitológico real.


Mitologias são excelentes fontes de inspiração para cenários de RPG, e esse cenário pode ficar mais interessante ainda se não só os monstros, mas os elementos sociais e históricos deste cenário também forem aproveitados.
Recentemente, o cinema nos apresentou uma lastimável obra baseada na mitologia grego, o filme "Fúria de Titãs".
Grande parte do fracasso do filme se deve ao fato do filme aproveitar apenas os monstros e os nomes dos personagens da mitologia e desrespeitar todo o resto; comportamento de personagens e fatos da cronologia mística foram jogados no lixo durante sua roteirização.
O resultado é que o filme também foi jogado no lixo depois de sua exibição, ficando abaixo, kilômetros abaixo, do antigo "Fúria de Titãs", filme de 1973 que tinha menos da metade de potencial de efeitos especiais.

O problema de se seguir completamente uma mitologia é que alguns detalhes poderão fugir da mitologia original. Existirá um conflito entre o roteiro planejado pelo mestre-de-jogo e as informações presentes na mitologia original.
No recente filme "Thor" temos um "furo" no roteiro causado por essa tentativa de inserir seus elementos de sua trama na mitologia nórdica sem levar em consideração um fato marcante desta mitologia: "Loki sempre foi considerado um vilão".
No filme, apenas em 2011 d.C. da contagem de tempo terrestre é que descobrem que Loki é traiçoeiro, mas a mitologia nórdica, que segundo o filme, foi baseada em uma passagem desses "alienígenas asgardianos" pelo planeta Terra, já contava desde milênios atrás que Loki era o grande vilão da história.
Para se utilizar a mitologia em seu cenário, é necessário estudo para se conhecer a fundo tal assunto, para não correr o risco de entrar em contradição durante o jogo e perder a credibilidade do seu cenário, enfraquecendo a capacidade da imaginação dos jogadores de sentir aquela história como uma realidade.

Ainda falando do filme "Thor", uma outra irregularidade encontrada no filme é a presença de atores de etnias asiática e africana entre os asgardianos.
Não existe problema algum em basear uma raça alienígena no corpo humano (de repente, a teoria da "origem alienígena" está correta e todos tiveram a mesma origem), mas "pingar" personagens com características étnicas diferentes em um ambiente que não seja o terrestre poderá complicar o cenário do mestre quando os jogadores perguntarem de onte vem os personagens da etnia asiática em Asgard.
Antes de correr o risco de precisar criar de improviso um novo continente em seu cenário mitológico, é melhor restringir tais improvisos na criação de personagens para impedir mais conflitos com a mitologia original.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Filme para menininhas... acho que não...

A sinopse de Perfect Blue dá a impressão de que é a história de uma estrela pop sendo perseguida por um fã doentio.
Dá até para prever o final.

O fato do filme ser um "desenho animado" colabora muito para essa impressão.
Porém, esse é um filme que dá vários nós na linha de raciocínio do seu público.
O que parece ser um filme de menininha acaba se tornando um filme tenso, cheio de interferências psicológicas em sua narrativa.
Uma excelente maneira de mostrar como alguns truques narrativos podem realmente deixar um jogador tão confuso quanto o seu personagem em uma situação desgastante.
E ao contrário de "Evangelion" ou "David Lynch", onde alguns delírios ficam em aberto com cada um deduzindo o que quiser da história, o final do filme amarra de maneira eletrizante a história.
O diretor de um filme de sucesso no Oscar deste ano até comprou os direitos desse filme, mas reproduziu apenas uma cena do anime em um filme seu. Dificilmente algum remake conseguirá superar a qualidade deste original.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Game Online: Cover Orange Players Pack 2

Cover Orange é um exemplo para os mestres de que, se o jogador descobrir uma outra maneira de contornar o seu desafio, parabéns e siga com a aventura.
O jogo é um puzzle onde você tem que tomar as providências para que uma chuva ácida não atinjam as laranjinhas (é, núvem de ácido e viagem de ácido dos programadores do game).
É uma satisfação muito grande tentar completar a fase com os elementos envolvidos, não conseguir, tentar dar um empurrão do lado errado e jogar correndo uma peça para tentar trapacear o desafio da fase e conseguir passar da fase.
Outra dica que o jogo dá para os mestres-de-jogo são os vários elementos colococados na fase, dando a entender que a resolução da fase é um caminho, e depois de várias tentativas, o jogador percebe que a resolução não tem nada a ver com aquele caminho indicado.
Não comece a jogar se você tiver um compromisso daqui a 15 minutos. Dá a impressão que vai levar só mais 1 minutinho para resolver a próxima fase, e lá pela décima tentativa, lá se foram 16 minutos.


sábado, 14 de maio de 2011

Preço Justíssimo

Já falamos aqui do Jogo Justo, agora apareceu a campanha Preço Justo, recomendamos muito que você participe das duas; o problema é que na hora de dar um Voto Justo, esse bando de jegues brasilis sentam na urnam e votam em mais do mesmo, e o conceito de mudança destes ruminantes é votar no Tiririca... e no Romário e em mais meia dúzia de oportunistas... Putacoparil, ô povinho burro.
Se continuar no ritmo que estão as coisas, na próxima eleição vão eleger o Ronalducho como presidente da república.
Preocupados com as causas sociais, a alta diretoria do IRPG decidiu entrar nesta luta e lançar mais uma campanha:

E é isso aí. Não gostou? Vai pra Miami e compre o seu.
Gostou? Faça a sua parte e divulgue nos comentários os links para downloads dos .pdf do livros do D&D4 e dos .rmvb legendados do Game of Thrones.

Em breve, nos cinemas:

Padre - 13 de Maio



Mais uma vez, as HQs mostram como é que se faz.
Em um cenário infectado por vampiros e outros demônios, a religião parte para a ignorança e senta o sabugo na capetaiada.
Dica muito legal para orientar e fundamentar uma ordem guerreira de clérigos, pois quando o bicho pega, ficar só resmungando mantrinha não salva o rabo de ninguém.
Depois dessa, é torcer para não ter mais um daqueles finais babacas, com alguém resmungando algum mantrinha e a "Mão de Deus" decidir descer do céu e salvar ridiculamente a situação, igual uma campanha de D&D que o Presto fez. Foi uma excelente campanha, que envolveu as três caixas de aventuras do D&D (D&D original, não esse jogo de miniaturas que a turma joga hoje), mas colocou essa salvação mística no final e fechou com chave de bóstom a campanha (se é pra Deus resolver, Ele que resolva e não me encha o saco).

Agentes do Destino -  13 de Maio



E quando a força do destino é mais forte do que a força do personagem?
Ao perceber isso, o jogador pensa: "vou jogar pra quê?" e vai assistir algum filme, onde, assim como em um jogo do destino, ele não tem como interferir na história.


segunda-feira, 9 de maio de 2011

IRPGCast 73: Encontro para Meninas de RPG


Encontros de RPG tem várias atividades para entreter os rapazes, mas e as meninas?
O que pode ser feito para atrair a mulherada aos encontros de RPG?
Eraldo, do World RPG Fest, debate algumas possibilidades neste podcast.



domingo, 8 de maio de 2011

E não acabou não...

Não é porque os àtoas do Critical Cast furtaram nosso podcast que a gente vai parar com nossa gloriosa campanha.
A grana pro playstation ainda não entrou, então, "RPG vai voltar a ser coisa do demônio".



sábado, 7 de maio de 2011

Plágio Exucaveiresco no futebol

Vergonhoso.
Todos os leitores sabem que "RPG tem que voltar a ser coisa do Capeta" é uma iniciativa do IRPGCast desde o mês passado, antes mesmo da ameaça ser cumprida com várias manifestações do Exu Caveirinha.
Pois agora, não satisfeitos com as fortunas que recebem do público pagante, dos cofres públicos e das lavagens de dinheiros, os jogadores de futebol também chamam o capeta para dar uma forcinha.
Confiram essar incorporada apresentado por um jogador em um momento de protesto:



Não deixe se enganar: Coisa do Capeta é só RPG e Heavy Metal, não deixem se levar por plagiadores!

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Como ser um vilão melhor, com Osama Bin Laden.

Vilão de jogo de RPG costuma ter apenas o status de "chefe-de-fase", e quando fala, é só para repetir alguma ameaça, daquelas que ocupam uns três quadrinhos de uma cena de briga em um gibi da Marvel.
Toda essa "vilania" acaba deixando o vilão muito superficial, algo que "foi feito para ser vilão", e não uma ameaça real para os personagens.
Todo vilão tem que ser herói de sua própria história. Ninguém quer jogar o "jogo da vida" somente para ser um obstáculo a ser vencido pelo adversário.
Uma mudança de ponto de vista pode colocar um vilão como sendo um herói, como Tiradentes, que antes da proclamação da república do Brasil, era visto pela história como um projeto de terrorista mineiro.

Um personagem, seja ele vilão, herói ou apenas um camponês, tem suas crenças e seus objetivos.
O ex-ditador do Egito, Hosni Mubarak, deposto por uma revolução civil e pelo clamor mundial, já era tido como vilão desde muito antes. Em 1995 um grupo rebelde tentou assassinar este tirano, e entre os líderes deste grupo estava Osama Bin Laden!
E não foi só dessa vez que Osama estava do lado dos mocinhos: Antes disso, durante a Guerra Soviética no Afeganistão, Osama e os Mujahideen estavam recebendo armamentos e até orientações da CIA para expulsarem os malignos comunistas de suas terras. Até o Rambo deu uma passadinha de lá para ajudar a galera enquanto salvava o Coronel Trautman de um sequestro (vai saber o que o Coronel Trautman estava fazendo no afeganistão).
O prórpio presidente Reagan elogiou os Mujahideen como "Guerreiros da Liberdade".

E alguns anos depois, o líder rebelde, parceiro dos Guerreiros da Liberdades, amigo do Rambo, causa o maior assassinato civil (2.996 mortos) da era moderna; depois dos assassinatos civis causados pelas bombas atômicas de Hiroshima (~140.000 mortos) e Nagasaki (~80.000 mortos).
O que será que aconteceu com esse personagem?
O que ele viu, descobriu ou acreditou para tomar tais atitudes?
A vingança é capaz de dar um objetivo obsessivo para qualquer pessoa, podendo transformá-la em um herói incansável ou em um vilão incansável.
O próprio Capitão Gancho, tido como o mais cruel dos vilões do universo fantástico, pode ser visto também como uma vítima de bullying, que se obrigou a dedicar todas as suas forças e seus recursos para se vingar da criança com superpoderes que decepou a sua mão e a jogou para um crocodilo enquanto brincava de "bater nos piratas" com seu bando de amiguinhos pivetes que fugiram de casa.

E além disso, um vilão nem sempre está sozinho, geralmente existem outras pessoas, e muitas, que também acreditam nos mesmos conceitos seguidos pelo vilão.
Victor Von Doom, o rei da Latvéria, é amado pelo seu povo. O Quarteto Fantástico e o pessoal da SHIELD estão sempre frustrando seus planos de conquista e o chamando de vilão da humanidade, mas ainda assim, seu povo acredita nele. Mesmo levando uma vida miserável. Talvez porque essa vida miserável seja causada por uma série de embargos econômicos que tenham sido feitos contra o país.
Osama Bin Laden tinha toda uma rede de colaboradores e toda uma população civil que o considerava um herói, um símbolo de tudo o que eles queriam ser, uma figura tão importante quanto Gandhi, Papa João Paulo II ou John Wayne são para outras culturas.
Mesmo morto, sua imagem continua forte entre esse povo, podendo ficar mais forte ainda agora que atingiu o nível de mártir.


Quer um vilão melhor?
Pode ser alguém com um motivo de vingança muito forte, alguém com uma cultura diferente, alguém com um objetivo diferente, ou, até mesmo, alguém com o mesmo objetivo.

Tente lembrar quais vilões de seus jogos realmente se tornaram memoráveis.
Foram os que proporcionaram melhores lutas ou melhores interpretações?

terça-feira, 3 de maio de 2011

IRPGCast72: Filmes de Fantasia Medieval

Está faltando inspiração para montar uma trama para um jogo de D&D?
Será uma perda de tempo, afinal, jogadores de D&D só querem saber de rolar dados e ganhar xp.
Mas, vamos lá, neste podcast, várias dicas de filmes com a temática de fantasia medieval para dar ideias para seus jogos de D&D.
Na verdade, tirando "Senhor dos Anéis", só conseguiram falar de uns 2 filmes, e ainda por cima, esqueceram de falar de "Krull", "A Lenda", "História sem Fim", "Coração de Dragão", "Willow" e "O Olho de Thraldar".



segunda-feira, 2 de maio de 2011

Game Online: Oiligarchy

Jogar pode ser uma divertida maneira de ensinar.
No caso de Oiligarchy, ensinar política internacional, alterações na bolsa de valores, desequilíbrio ecológico e muitas outras informações relacionadas com a exploração do petróleo.
Apesar do final ser sempre o mesmo (eu acho), é muito interessante analisar todos os aspectos desta "garimpagem do ouro negro", da prospecção por reservas de petróleo à influência nas eleições para presidente dos EUA.



domingo, 1 de maio de 2011

Contra-Protesto do "RPG tem que voltar a ser coisa do Capeta"

Uma facção ortodoxa não gostou da utilização da Exu Caveirinha como estandarte da campanha "RPG tem que voltar a ser coisa do Capeta" e provocou um pusta quebra em um baile funk de outra seita que é favorável à causa. Põe na tela:



Pelo menos, foi o que eu entendi.
Ou eu estou errado? Me ajuda aí!