domingo, 22 de dezembro de 2013

Ultraman na campanha Anti-Bullying

Excelente ação de marketing japonesa para diminuir o preconceito contra o bullying



Parabéns Ultraman!



quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Cinco são mais eficientes do que cinco mil: Um estudo sociológico sobre legislação e atitude.

O interior paulista foi marcado, recentemente, pelo descarrilhamento de vagões de um trem, que resultou na trágica morte de oito pessoas que participavam de uma festa doméstica no final de semana.

Jardim Conceição, em São José do Rio Preto, dia 24/112013

A tragédia gerou grande comoção popular, com debates na câmara dos vereadores, explicações da responsável pelo trânsitos de trens (América Latina Logística) e repercussão por todas mídias do interior paulista.
Porém, não só os acidentes com trens interferem na rotina urbana: grandes composições, que beiram uma centena de vagões, atravessam importantes ruas de várias cidades várias vezes por dia, bloqueando o trânsito por até 20 minutos, e não são raros os momentos em que o trem para, bloqueando o trânsito por tempo indefinido.


Com certeza, bem mais do que cinco mil pessoas estão esbravejando aos quatro ventos, cobrando a retirada de linhas férreas de áreas urbadas, abaixo assinados pedindo construções de viadutos sobre os trilhos, exigindo providências, denunciando em programas de tv e tudo o mais.
Mais do que cinco mil cidadãos, tentando das mais variadas maneiras, por mais do que cinco anos, e a situação permanece imutável.
Porém, o máximo que esses cinco mil fazem é falar e assinar.

Bastariam cinco, com uma atitude, para resolver esse problema em cinco meses.
Cinco que passassem do parlamento legal para a atitude ilegal: a destruição.


Com as ferramentas corretas, apenas cinco pessoas seriam capazes de destruir os trilhos em regiões urbanas, em trechos afastados de residências.
Um descarrilhamento a cada cinco dias, em diferentes cidades, causados por apenas cinco pessoas.
Quanto prejuízo a ALL suportaria antes de investir o dinheiro que, com certeza, seria gasto em futuros descarrilhamentos, no desvio dos trilhos ou construções de passagens que não atrapalhem a rotina urbana?


Isso seria correto?
Ou é correto apenas aquilo que respeita a legislação?
A legislação é um conjunto de leis, criadas por membros de uma sociedade, para definir os procedimentos que devem ser adotados nas mais variadas situações para que se chegue a uma solução justa.
Mas e quando a legislação, além de não resolver problemas, serve apenas para transformar a justiça em prostituta nas mãos daqueles que podem pagar por ela? Quando a legislação é incorreta, é correto seguir a legislação?

Grandes mudanças históricas foram conseguidas por meio de atitudes, e não por meio de obediência à legislação.
Todos os feriados cívicos brasileiros homenageiam momentos em que as leis foram quebradas (ou momentos em que se tentou quebrar a lei).
O que faz o mundo seguir adiante são atitudes, e não apenas palavras, afinal, o que é uma ofensa verbal perto de um soco na sua cara?


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Excomunhões, Trapaças, e Dois Canos Fumegantes

Já pensou numa trama com idolatria, excomunhão, genocídio, vingança, trapaça, vingança, ódio, sangue e esperança?

Com tanta história em nosso sujo passado nacional, por que a turminha insiste em ficar fazendo filminhos babacas sobre o jeitinho malandro brasileiro?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Dia da Consciência Negra Coletiva

Mais do que um dia de comemoração, o Dia da Consciência Negra é um dia de reflexão sobre as desigualdades raciais e medidas que devem ser tomadas para corrigir erros históricos.
Muitas injustiças foram cometidas no decorrer da história da humanidade, e a situação caótica em que vivemos é resultado dessas atitudes do passado.
O governo brasileiro, em uma iniciativa inédita, começa a melhorar o mundo em que vivemos promovendo a igualdade de condições por meio de cotas e promoções para aqueles que tiveram um passado desfavorável.
Para acertar todos os ponteiros da nossa história, várias outras medidas deveriam ser tomadas, e o dia da Consciência Negra é a data ideal para nos conscientizarmos e exigir de nossos governantes as seguintes providências:

Cota para Brasileiros em cargos públicos portugueses.
Portugal explorou não só as riquezas naturais da nossa terra, como também, o trabalho de muitos brasileiros, exigindo um quinhão injusto do Brasil colônia. Não podemos deixar em vão a morte de Tiradentes, e devemos lutar pelo nosso justo direito de recuperar essas riquezas em cargos públicos de Portugal.

Cota para Índios no Plenário Federal.
Os indígenas são, reconhecidamente, os proprietários originais desta terra que habitamos. É vergonhoso reconhecer que eles não tomam parte nas decisões do que é feito nesse país, que é deles por direito de uso. Vamos lutar para que pelo menos 30% das vagas do senado e da câmara federal sejam reservadas para índios.

Devolução de Terras Africanas.
É sabido que os escravos negros não vieram para o Brasil por opção, eles foram arrancados à força de suas terras. É uma questão básica de justiça que essas terras sejam devolvidas para os descendentes desses tribais africanos. Um estudo genealógico e geográfico deve ser feito imediatamente para que os afrodescendentes brasileiros possam ocupar as terras que são deles por direito legítimo.

Indenização das Tribos Africanas.
Os navegadores compravam os escravos nas terras africanas, ou seja, eles negociavam os negros como se fossem uma mercadoria qualquer, com custo de compra e lucro de venda.
Quem agia de violência para capturar os negros de tribos africanas e vendê-los para os navegadores brancos eram os negros de tribos mais fortes, portanto, nada mais justo do que países africanos, estabelecidos com a força dessas tribos, pagando uma indenização a cada brasileiro que tenha sangue negro, nem que seja em 1% do seu código genético.

Cotas para Orientais em Presídios.
Muito se reclama do fato de que uma grande parcela dos presídios seja ocupada por negros ou pardos. Para igualar essas estatísticas, devemos aumentar a quantidade de chineses, coreanos, japoneses ou qualquer outra pessoa de origem asiática nas prisões de todo o país, uma vez que é raridade encontrar prisioneiros de feições orientais em qualquer cadeia do Brasil.


Pense sobre essas demandas e espalhe essas ideias. O Dia da Consciência Negra trata exatamente disso, devemos desigualar as leis para igualar os erros históricos, para que essas tragédias étnicas nunca mais se repitam.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Guia rápido de pintura clássica para jogadores de D&D


e isso é tudo o que você precisa saber para arrasar na fuvest.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Meus alunos são Black Blocs

Não é nem com orgulho nem com arrependimento que reconheço que os meus alunos são Black Blocs.
São adolescentes que passaram pelo ensino fundamental e pelo ensino médio empurrados pela progressão continuada, com professores que não tinham condição alguma de passar seus conteúdos em sala de aula.
Na escola eles aprenderam a desrespeitar autoridades, quanto maior o desrespeito, maior era a "moral" que ganhavam com a turma; e como sempre, nenhuma punição.
Aprenderam também a se tornarem vagabundos. Perceberam que, mesmo sem responder nem mesmo um exercício de múltipla escolha, eles passariam de ano do mesmo jeito que aqueles "otários" que entregaram todos os trabalhos do bimestre.
Aprenderam também que o estado é obrigado a suprir todas as suas necessidades. Ganham material e mochila; podem rabiscar as paredes, pois no ano que vem elas serão pintadas; podem fazer guerra de comida que no dia seguinte continuará tendo merenda; podem esquecer seus livros em casa, pois de algum lugar surgirão outros para ele (não) acompanhar a aula; podem rasgar folhas do caderno para fazer bolinhas, e acabando a munição podem ganhar um novo caderno.
Saindo da escola e encarando a realidade, eles descobrem que não existe lugar para eles nesse mundo.
Saem do emprego logo na primeira vez em que a atenção deles é chamada, acham um absurdo não poderem entrar no serviço na hora que bem entenderem.
Acham que é obrigação do mundo pagar um salário para eles, independente do que eles façam.
São arrogantes, não leem nada porque acham que sabem de tudo.
Não sabem construir, só sabem destruir. Não sabem o que reivindicar, só querem protestar. Não estão preparados para se enxergar como indivíduos, só se sentem fortes quando fazem parte de alguma turma.
São esses os meus alunos. É essa a geração que uma educação indigente e mentirosa conseguiu entregar para a nação. O país precisando importar qualquer tipo de mão de obra, de médicos a pedreiros, pois a única coisa que a escola está formando é uma horda de desempregados revoltados.
Uma geração inteira deste país está perdida, não serve para nada, uma multidão de inúteis protestando por uma utopia doentia, buscando um mundo onde se ganha a vida girando o caderno na ponta do dedo e mandando o professor se fuder.



sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Infecção Beagle

Atenção criadores de cães!

Alguns cães da raça beagle, que estavam sendo utilizados como cobaias no Instituto Royal, passaram a apresentar comportamento agressivo uma semana depois que foram resgatados.
Os sintomas são semelhantes ao da raiva, causa comportamento arredio do cão, formação de secreção e avermelhamento nos olhos, salivação excessiva e falta de sono.
Alguns tratadores foram mordidos pelos cães, e relataram mal-estar algumas horas depois da mordida. Eles já foram tratados com medicação anti-rábica, mas os sintomas não estão regredindo.

Alguns desses cães estão sendo vendidos pela internet, sem que tais sintomas sejam descritos.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Meus queridos leitores,

Eu não sei o que fazer com Dóris.
Ela era apenas um personagem secundário, aliás, nem isso, era a auxiliar de um personagem secundário, uma figurante, nem nome deveria ter, mas acabou ganhando não só o nome como várias cenas.
Suas cenas aliás, pouco tinham a ver com o protagonista, ela era apenas a secretária do presidente da empresa que fabricou o androide. Ela teve apenas umas duas interações com o protagonista, apenas umas situações cômicas cotidianas, nem sei porque eu insisti em continuar criando situações que mostrassem o dia a dia dela.
Ela é jovem, não sabe o que fazer com seus sentimentos, tem uma pequena crise com seus pais, é dedicada... nada que interfira na trama.
Foi irresistível, entre as ações centrais da trama, naquelas situações que só tinham a função de reforçar o realismo do cenário, apareciam as cenas com a Dóris, eu nem me dava conta que ela estava aparecendo tanto, mas agora, com o final chegando, eu não sei o que fazer com ela.
Por se tratar de uma obra de ação e mistério, acredito que vocês estão esperando por alguma surpresa que coloque a Dóris no caminho do androide, e provavelmente, com um final trágico, afinal, é tão frágil a coitadinha...
Mas eu não pensei em nada disso, eram apenas situações cotidianas mesmo, para humanizar o cenário, mostrar que, apesar de todos os avanços científicos, as pessoas que viviam nele eram iguais a vocês, leitores.
Tem outro problema também: muitos já devem estar esperando isso, a figurante sem valor nenhum, que só é citada gratuitamente de vez em quando, tendo um papel fundamental no desfecho da trama. Nem isso eu posso fazer porque seria um truque muito barato.
É isso, eu não sei o que fazer com essa personagem. Acabei me simpatizando com ela, criei os momentos dela, mas agora, ela tem um rumo que em nada bate com o do M32.
Será que vocês podem aceitar que ela é simplesmente um personagem que vive nesse mundo, sem nenhuma ligação com os rumos principais da trama?
Desculpem se criei expectativas, ou se acham que apenas desperdicei tempo de narrativa contando o que Dóris fazia ou deixava de fazer, mas é isso, ela é apenas uma figurante simpática e sem importância. Não acho justo ela servir de alvo gratuito no final só para amarrar a trama.
Tudo bem se eu encerrar a luta do M32 e deixar ela vivendo a vidinha dela?
Não vai ser uma vida lá muito sossegada, pois o M32 vai acabar com a empresa em que ela trabalha, e ela vai se ver desempregada em uma cidade grande, com aluguel para pagar, e nem o último salário ela vai receber, pois os chefões da empresa vão desaparecer depois do confronto final.
Mas que droga, Dóris. Me fez dar spoiler da história...



terça-feira, 15 de outubro de 2013

Cidade dos Ossos

Sonhei que eu estava andando em uma cidade branca, com prédios altos, linhas retas, e arredondamentos ornamentais em suas quinas.
A cidade tinha cores, mas todas eram claras, o dia estava ensolarado, as ruas estavam limpas, e a calçada era feita de crânios humanos. Crânios inteiros, encaixados uns nos outros de maneiras diferentes, para que suas saliências não incomodassem os pés dos cidadãos.

Um prédio estava em obras, e vi que suas paredes também eram feitas de ossos, de várias partes do corpo, e eram encaixados de tal maneira pelos pedreiros que as paredes pareciam retas.
Pedreiros de ossos…
Alguns deles estavam descarregando o material de construção de um caminhão. O caminhão era feito de metal, mas sua carga eram ossos, amarelados, e alguns ainda tinham restos escuros de carne grudados neles.
Aqueles ossos eram lixados até ficarem brancos, e depois eram envernizados por um esmalte transparente, que os deixavam resistentes como pedras depois que secavam.
Os pedreiros não eram escravos, eram trabalhadores normais, e faziam seu trabalho com dedicação, eu observava um deles envernizando um crânio com dedicação, passava com agilidade uma espuma encharcada por toda a superfície, e depois, lentamente, utilizava um pincel para cobrir qualquer ranhura que pudesse ter ficado desprotegida.
Parecia uma carícia, como se estivesse cuidando do crânio do próprio pai.
E realmente, poderia ser o crânio do próprio pai dele.

Ainda existiam funerais naquela cidade, alguns tinham seus corpos inteiros enterrados, mas alguns optavam por vender partes de seus parentes falecidos, contentando-se em enterrar apenas algumas vísceras que não tinham utilização.
Enterros de corpos inteiros eram apenas um símbolo de status. Corpos eram uma mercadoria como qualquer outra, vendidas para uma empresa de reciclagem que revendia as partes de maneira anônima.
A maçaneta da igreja poderia ser o fêmur de sua tia, e você nunca saberia disso.
O coração da sua mãe, que serviu para pagar a faculdade da sua filha, poderia estar batendo no peito de um popstar, e você nunca saberia disso.
Aquele mestre de RPG com quem você jogou algumas vezes quando era criança poderia ter morrido no ano passado, e você não ficou sabendo de sua morte e nem sabia que aquele sofá que você estava comprando era feito com a pele dele (coberta com um verniz azulado e com textura de camurça).
Nas óticas, você não comprava óculos, você comprava olhos, e um deles poderia ser daquela menininha por quem você era apaixonado no jardim da infância, mas depois que trocou de escola nunca mais ficou sabendo dela.

Pessoas não pensavam em sabotar os ossos, usar uma dosagem errada de verniz para que todas aquelas estruturas desmoronassem. Todos preferiam tratar os ossos com carinho e dedicação.

Era um conceito assustador, mas a cidade era linda.

Devo escrever um cenário cyberpunk de RPG com esses conceitos ou devo trocar de psiquiatra?



quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O verdadeiro pastor metralhadora



Virei evangélico depois dessa!
só que não.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Pegadinha da Malandra

Eu já sei o começo, o meio e o fim da história, o Pokoloko deve conhecer até as falas dos personagens, ainda assim, vou ver no cinema.


vai ser difícil o Sílvio Spectro ganhar dessa.


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Pole Dance Olímpico Já!

Aproveitando que a patroa não lê este site:

Cadê a lista online de assinaturas para pole dance entrar nas olimpíadas?

sábado, 28 de setembro de 2013

MMA é para os fracos

Depois do corredor polonês, vem aí, o vale-tudo polonês:

Quando a rasteirinha é mais poderosa do que a espada!

Tem alguma tv paga que passa isso?

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Em um minuto você está vivo...

...e em um segundo você morre.

Tão simples quanto dirigir de salto alto.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Um fato policial, um fato biológico, um fato jornalístico e uma conclusão.

Fato Policial:
No programa documentário "Águias da Cidade", exibido no Discovery Chanel, uma das ocorrências atendidas pela tripulação do helicóptero Águia, na grande São Paulo foi localizar um fusca marrom nas proximidades de uma favela.
O Águia só atende emergências, e nesse caso, o fusca estava sendo procurado porque ele havia sido roubado com uma garotinha de dois anos dentro.
O documentário mostrava a preocupação dos policiais, aguçando ao máximo seus sentidos para tentar localizar o veículo e salvar a garotinha.
Eles voavam pelos arredores da favela de onde o veículo havia sido furtado, segundo a vítima, por dois motoqueiros; eles haviam apontado uma arma, e o garupa levou o carro com a menininha dentro.

Depois de dois fuscas marrons, um terceiro coincidia com as características do veículo roubado, tinha película preta nos vidros, e a visualização da chapa confirmou, era o veículo roubado.
Um dos tripulantes dizia que muitas vezes, ocorria uma espécie de instinto coletivo entre os policiais, que os levava a realizar feitos impossíveis, como localizar um fusca marrom em uma favela.
O Águia ficou sobrevoando a área, para indicar a posição para as viaturas terrestres e para tentar visualizar algum suspeito com uma garotinha tentando fugir do local.
Depois de algum tempo, as viaturas chegam, e os tripulantes conseguem ver um homem chorando ao lado do carro. Segundo os policiais que estavam no solo, o pai da menina estava desconsolado, pois o veículo estava vazio e não havia pista alguma da localização dos bandidos. Ele alegava que a mãe da menina pudesse estar de alguma maneira envolvida no sequestro, eles eram separados.
Essa investigação ficou para a equipe de solo, o helicóptero foi atender outras emergências no decorrer do dia.

No final do dia, quando a tripulação volta para o quartel, eles ainda estão preocupados com o sequestro da garotinha, e perguntam pelo desfecho do caso. Um colega conta que um dos policiais que atendeu a ocorrência, seguindo aquele já citado instinto policial, colocou a mão sobre o motor do carro, e percebeu que ele estava frio, aquele veículo não tinha sido utilizado naquela última hora. Confrontando o pai da criança com aquela informação, ele caiu em contradição ao descrever novamente o roubo, e acabou confessando que havia matado a menininha na noite anterior como vingança contra a ex-esposa.


Fato Biológico:
Uma fêmea de tubarão-baleia, caçada em Taiwan, apresentou uma quantidade aproximada de 300 fetos em desenvolvimento.
Essa produção excessiva de filhotes acontece também com outros animais; é uma técnica da natureza para permitir que pelo menos um deles chegue à idade adulta, pois esses filhotes são abandonados no meio ambiente assim que nascem, e não contam com a proteção dos pais.





Fato Jornalístico:
O assassinato de Isabela Nardoni, uma criança de classe média-alta, teve grande repercussão nacional.
O assassinato da menininha do fusca marrom, não.














Conclusão:
Em Diadema não tem Natal.

sábado, 21 de setembro de 2013

Continua a Invasão Zumbi

Desta vez no Peru...

Foge glu glu! Foge ié ié!

O Nome do Sistema

Sempre que alguém cai em alguma armadilha do sistema legislativo brasileiro, ao tentar buscar uma saída, acaba chegando na conclusão de que tudo foi armado para o cidadão perder e a corrupção ganhar.
A partir daí, surgem críticas contra "O Sistema", que "O Sistema" está viciado no poder, que "O Sistema está corrompido" e que não tem como lutar contra "O Sistema".
Surge então uma cultura que trata o Sistema como se fosse uma entidade etérea e onipresente, que a todos pode atingir sem nunca ser atacada; uma divindade contra a qual não se pode lutar.


Uma comparação com este Sistema pode ser feita com artistas de cinema, ou até mesmo com autores de livros; o público não consegue assimilar que essas pessoas são seres humanos como eles, com as mesmas capacidades e as mesmas fragilidades.

Mas existe quem pensa diferente. Existem aqueles que enxergam as pessoas que se passam por "Mágicos de Oz".
As pessoas que manipulam esse Sistema estão por aí, podem ser vistas, podem ser atingidas.
É isso que pensa Luciano Cunha, e ele mostra uma solução para esta situação em sua obra em construção: "O Doutrinador".
Em seus quadrinhos, o protagonista busca a solução dos problemas da nação matando os nomes da corrupção.
Simples e direto.
Será que isso funcionaria, ou é apenas ficção barata de HQs?

Não é difícil descobrir os nomes por trás do Sistema, qualquer busca pela internet, qualquer notícia de telejornal, qualquer trabalho de pesquisa pode mostrar alguns desses nomes, por exemplo:
 ou então:

e mais:

Pelos meios do "Sistema", já se provou que não existe justiça, mas e por meio de vingança popular? Por acaso tais pessoas não sangram?

Os protestos pacíficos, com um tempero de vandalismo, que tomaram as ruas de várias cidades brasileiras, se mostraram ineficientes contra o "Sistema", mas e um protesto violento, na garganta dos nomes por trás do "Sistema", como propõe o Doutrinador; seria essa a solução?



sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A Máscara de Guy Fawkes

Durante os protestos ocorridos nos últimos dias, a máscara do "V de Vingança" tem marcado presença na frente de muitos rostos.
Muitos usam essa máscara imitando os "Anonymous", outros sabem da referência ao filme "V de Vingança", mas poucos leram a obra de Alan Moore, que transformou essa máscara de traidor em símbolo de um herói.

Guy Fawkes, juntamente com outros conspiradores, pretendiam trazer o Catolicismo de volta para a Inglaterra no início do século XVII, e para isso, pretendiam explodir o parlamento, matando assim o Rei Jaime I e todos os parlamentares.
Porém, assim como na Inconfidência Mineira, alguém traiu a Conspiração da Pólvora, e uma carta anônima fez com que os barris de explosivo fossem localizados e Guy Fawkes fosse preso.
E assim como no Brasil, tinha-se o costume de malhar um boneco de Judas nas manhãs do Sábado de Aleluia, na Inglaterra a diversão em todo 5 de novembro era queimar um boneco de Guy Fawkes em uma grande fogueira.

A figura de Guy Fawkes era como uma versão famosa de Tiradentes durante a época da monarquia portuguesa, era apenas um traidor que foi executado por seu crime.
Somente durante o início da República brasileira que, precisando de um herói nacional, retomaram a história do traidor de Minas, refizeram sua aparência para ficar parecido com Cristo (Tiradentes era militar, teria no máximo um bigode, e durante os meses que ficou preso, teria seus cabelos e barbas raspados para evitar a infestação de piolhos), declararam-no como mártir e o traidor da história passou a ser o delator Joaquim Silvério dos Reis.

Na Inglaterra, até hoje Guy Fawkes é considerado um traidor, porém, sua máscara se tornou o símbolo de um povo capaz de amedrontar seu governo, um povo que mostra sua insatisfação por meio de ameaças, assassinatos e explosões.
Portanto, se você está utilizando esta máscara e fica só na onda do protesto sem violência, aquela caminhada pacífica pelo centro da cidade que não incomoda ninguém, TIRA ESSA MÁSCARA QUE TU NÃO É VENDETTA!!!



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Invasão Zumbi no Brasil


F#deu, corre cambada!!!

Ainda bem que Catanduva já se preparou para conter os mortos dentro do cemitério com arame farpado.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

O que é Justiça?

Já aconteceu faz algum tempo, acho que você se lembra:


Mas disso aqui, você sabia?:

Criminosos nos ensinando como se faz justiça? É isso mesmo que eu entendi?

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Vídeos Pornôs da Semana

Em uma tentativa rasteira e desavergonhada de aumentar a audiência do site, o IRPG apresentará a seguir vídeos de uma nova modalidade de filmes pornô: a "motozoofilia", filmes de animais (irracionais) com máquinas (motorizadas).






terça-feira, 10 de setembro de 2013

Como funciona o Mercado Financeiro Capitalista

Um produto, gerado pela união de matéria prima com um serviço custa quanto o executor do serviço quiser.
Este produto é um bem cosmético, não é algo necessário para as pessoas, mas as pessoas gostam de ter esse produto. Este produto também não é único, cada pessoa pode ter várias unidades deste produto ao mesmo tempo. E pessoas gostam de ter várias unidades deste produto.
O vendedor tem um custo de $2 com a matéria prima deste produto, e decide vender seu produto por $10, tendo assim um lucro de  $8 para receber por seus serviços.
$10 é considerado um preço salgado para esse tipo de produto, mas ainda assim, pessoas compram, nem que seja apenas uma unidade. Gostariam de comprar mais, mas o custo seria considerado alto.

Se esse produto custasse $6, pessoas poderiam considerar comprar até 3 unidades deste produto. Gastariam $18, bem mais do que $10, mas ficariam satisfeitas, pois compraram 3 unidades do produto cosmético.
O vendedor teria um lucro de apenas $4 por unidade, o que geraria um lucro total de $12.
Um lucro de $12 pela venda de 3 unidades por $6 cada é maior do que o lucro de $8 pela venda de apenas uma unidade por $10.
$6 por unidade seria um valor satisfatório para ambas as partes.

Porém, ao custo de $10 por unidade, se uma pessoa decidir comprar 3 unidades, ela dará um lucro de $24 ao vendedor, o mesmo lucro que ele teria se conseguisse vender 6 unidades do produto por $6.
O vendedor sabe que pessoas ficariam felizes em comprar 3 produtos por $6 cada, mas sabe também que existem pessoas que pagariam $20 por 2 unidades (o que daria um lucro de $16, lucro igual a venda de 4 unidades por $6).

Enquanto 1 pessoa concordar em pagar mais, 2 pessoas não poderão comprar por menos.


Bônus: Como funciona o Mercado Financeiro Socialista.

Não existe mercado financeiro socialista, pois ninguém tem produtos para comprar ou vender.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

IRPG AM

Jeff dedica esse sucesso a todos os habitantes da Ilha da Garganta Profunda:

terça-feira, 27 de agosto de 2013

The Men

Esta postagem contém spoilers do filme "Oblivion".
Oblivion é uma ficção científica interessante, com um trailer que estraga a surpresa da trama só pra mostrar que contrataram o Morgan Freeman para o filme.
Porém, existe uma segunda grande surpresa na história: Os clones.
O filme termina com a mocinha ficando feliz por poder dividir sua vida com outra cópia de seu marido (que deve ter sido esviscerado antes do começo da invasão).
É aí que entra a deixa para um segundo filme, completamente diferente do primeiro:
Eram várias equipes de manutenção dos robôs, ou seja, vários clones poderiam aparecer para dividir a mesma esposa.
Não seria um filme de ação (a não ser por uma ou outra cena com o Tom Cruise correndo), o forte do filme seria o drama sobre o sentimento de pessoas duplicadas, que se achavam únicas até então, e, de repente, descobrem não só que existem cópias suas, como também descobrem que todas as suas memórias que estão retornando pertenciam a um homem que já morreu.
E a esposa, então? Viveria na suruba? Estabeleceria um rodízio? Dividiria com as amigas? Escolheria um?

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Homens-Bomba Made in USA

Dois grandes sucessos do cinema estadunidense no ano de 2013 contaram com personagens que se sacrificaram ao acionar bombas que destruíram seus inimigos.
Foram momentos climáxicos nas histórias, dando a oportunidade de vitória contra inimigos... como posso dizer sem dar spoilers... contra inimigos que estavam em superioridade bélica e com o tabuleiro do jogo nas mãos.
Foi muito bonito de ser ver, mas tal ato não é nenhuma novidade, nem na ficção e nem na vida real:


É engraçado como suicidas fanáticos se tornam heróis corajosos quando se muda o ponto de vida da história...

Allah Al Akbar.


sábado, 24 de agosto de 2013

Participação do Jason no Casos de Família.

Um aspecto que eu gosto nos filmes de terror é a falta de pudor.
Não estou falando dos peitinhos gratuitos, estou falando da falta de compromisso com a ética, lição de moral ou qualquer falta de obrigação com final bonitinho.
Em um filme de terror, pode acontecer qualquer coisa no final.
Uma das coisas mais babacas que eu sinto em alguma histórias é a obrigação de poupar a personagem criança. Parque dos Dinossauros que o diga. Morre todo mundo, neguinho que treinou a vida inteira para lidar com feras morre numa piscada, agora, a molecada, esse o bicha do Michael Crichton não tem cojones de matar.
Em filmes de terror não tem essa viadagem. Em filmes de terror, a criança pode ser o monstro.
"The Woman" é um filme f### pra c######. Faz tempo que eu não via um filme de terror tão bom.
A onda ultimamente são esses filminhos de terror pra juvenil levar sustinho e dar risada. em "The Woman", o juvenil sai sem entender nada. E ainda acha o filme uma bosta.
Mas o bacana, pelo menos no meu caso, foi assistir antes deste filme o "The Offspring", que conta o começo da história.
Não tem nenhuma novidade nisso, o mundo do cinema está cheio de continuações, mas o caso aqui é o seguinte: Repare que "The Woman", em nenhum momento" é chamado de "The Offspring 2".
Lembra do "Sexta Feira 13"? Teve várias continuações, e o roteiro do filme era sempre o mesmo: A juvenilzada vai arrepiar na beira do lago, chega o maníaco mascarado e créu. Só sobra uma vítima no final, que sofre pra buné mas acaba matando o lazarento, e aí, na última ceninha antes dos créditos, o Jason pula da água e puxa a infeliz para o inferno.

Agora, imagina o seguinte, você assiste o "Sexta Feira 13" e no final não explica como aquele retarda gigante consegue alcançar todo mundo mesmo andando com uma calça justa prensando o saco.
Beleza, acabou o filme, o Jasoneta passou o rodo geral na turma. Aaaaaíííí, uns tempos depois, você assiste um drama sobre esportes, chamado "Vitória Silenciosa", sobre um time de hockey que tem um jogador introvertido, que não conversa com ninguém e nunca tira sua máscara.
"Peraí - você vai pesar - Estão de zueira, esse cara é o Jason, do filme de terror", mas o filme é um drama. Você sabe o tempo todo que o cara é o Jason, o filme mostra até flashbacks do "Sexta Feira 13", mas o filme é um drama, e, não se sabe por que, o mongol do Jason não está matando ninguém!
Com "The Offspring" e "The Woman" é maaaaaaaaaaaaaaaaaaais ou meeeeeeeeeeeeeeeenos isso que acontece.


"The Offspring" é um daqueles filmes de terror trash, cheio de clichês e de efeitos podres. De repente, bateu uma luz roxa no lado esquerdo do cérebro doentio do Jack Ketchun (primo do Ash, que caça pokémons), e ele decidiu fazer um drama com um dos personagens deste filme.
É um filme chato até a metade, que só se sustenta pelo absurdo de trazer uma personagem do filme anterior e pela suspeita de que ela não é a única perturbada na história. O filme vai crescendo e o final arregaça tudo.
Moral distorcida, questionamentos e nenhum pudor.

Sobre as críticas da trilha sonora não ter nada a ver com o filme, o diretor Jack Ketchun falou que o filme é dele e ele coloca a música que ele quiser.



sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Pokoloko, olha essa peleja!



bônus:


extra-bônus:


combo-bônus:


matando-o-serviço-bônus:

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Pena de Morte JÁ!

Não existe limite para a maldade do ser humano.
O vídeo abaixo mostra cenas repugnantes, um crime hediondo, um fato que deveria mobilizar toda a população para implementar a pena de morte e acabar já com esse absurdo.

ALERTA: cenas fortes que podem impressionar pessoas mais sensíveis:


Reação do Curador da Biblioteca Municipal de Catanduva ao ver esse vídeo:

quinta-feira, 25 de julho de 2013

FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU



naaaaaaaaaada feladaputa, naaaaaaaaadaaaaaaaaaa!!!

FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU


naaaaaaaaaada feladaputa, naaaaaaaaadaaaaaaaaaa!!!

FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU


naaaaaaaaaada feladaputa, naaaaaaaaadaaaaaaaaaa!!!

FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU


naaaaaaaaaada feladaputa, naaaaaaaaadaaaaaaaaaa!!!

sexta-feira, 19 de julho de 2013

A Contadora de Histórias de Paranapiacaba



Ignácio de Loyola Brandão - O Estado de S.Paulo

...Acompanhei o pessoal da CPTM até a casa de dona Francisca Cavalcanti de Araújo, senhora de 78 anos, que lutou para que o trem voltasse à cidade, "para termos vida novamente. Não quero morrer sem ver o trem apitar na estação". Extrovertida, sorridente, dona de uma pequena loja de artesanato, no dia em que o primeiro trem chegou ela estava indisposta, não fez a viagem. O recanto dela é imperdível. Olhando objetos, numa parede dei com um poema emoldurado que ela escreveu sobre sua Paranapiacaba.
Aqui é a vila mágica/ A vila aparece/ E desaparece/ Tem horas que você vê o morro/ Tem dias que você não vê nada/ Parece o grande caldeirão/ Que você põe para esquentar/ E a fumaça vem para a vila apagar/ Tem bruxa no pedaço/ Com sua vara de condão/ E põe fogo no chão/ A fumaça aparece/ E a vila desaparece/ Como passe de mágica/ O morro a sumir/ E a fumaça a perseguir/ O dia não passa/ Nem as horas/ Só fica a fumaça/ Na cidade mágica. 

domingo, 30 de junho de 2013

Paixão Nacional

Imagine um país que acompanha aqueles combates circenses de luta livre; torcendo, chorando e se emocionando a cada golpe, comemorando com gritos e rojões as vitórias conseguidas naquelas lutas combinadas.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Futebol, Lost e Vergonha

A seleção de futebol brasileira está ganhando vários jogos na copa das confederações, mas, você percebeu que não tem um rojão estourando na vizinhança quando algum pelego marca gol?

A televisão ditava o comportamento de que todo brasileiro deveria gostar de futebol, mas com o compartilhamento livre de opiniões na internet, muitas pessoas acharam outras pessoas que compartilhavam o mesmo desgosto por futebol.
Esse desgosto foi externado nos vários protestos contra o desperdício de verbas públicas com gastos para a copa.
A população, mesmo quem gosta de futebol, percebeu que: Futebol é um circo que te faz de palhaço para não enxergar o que está acontecendo no seu país.
Depois da última copa do mundo que o Brasil ganhou, vários aumentos (energia, combustível, ...) foram declarados pelo governo, mas o povão, anestesiado pela vitória da copa, nem reclamou.
Acontece agora o mesmo que aconteceu com o final do seriado Lost. Quando os fãs perceberam a porcaria que foi o final da série, ficaram com vergonha de falar que adoravam essa série.
Você não está escutando nenhum rojão estourando a cada gol da seleção brasileira porque os brasileiros, finalmente, ficaram com vergonha de gostar de futebol.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Aprovaram um projeto?

Então quer dizer que aprovaram o projeto que transforma corrupção em crime hediondo?
Crime hediondo significa que os culpados devem aguardar presos o andamento do processo, não é?
E o que essa corja do mensalão está fazendo fora da cadeia?
Muito bonito escrever qualquer coisa no papelzinho para enganar a turma, mas e os fatos?
Onde estão as primeiras oferendas para o gigante que acordou?
Deixa o Valério falar, a gente quer ouvir...

Que continuem os festejos em Brasília.