sábado, 24 de agosto de 2013

Participação do Jason no Casos de Família.

Um aspecto que eu gosto nos filmes de terror é a falta de pudor.
Não estou falando dos peitinhos gratuitos, estou falando da falta de compromisso com a ética, lição de moral ou qualquer falta de obrigação com final bonitinho.
Em um filme de terror, pode acontecer qualquer coisa no final.
Uma das coisas mais babacas que eu sinto em alguma histórias é a obrigação de poupar a personagem criança. Parque dos Dinossauros que o diga. Morre todo mundo, neguinho que treinou a vida inteira para lidar com feras morre numa piscada, agora, a molecada, esse o bicha do Michael Crichton não tem cojones de matar.
Em filmes de terror não tem essa viadagem. Em filmes de terror, a criança pode ser o monstro.
"The Woman" é um filme f### pra c######. Faz tempo que eu não via um filme de terror tão bom.
A onda ultimamente são esses filminhos de terror pra juvenil levar sustinho e dar risada. em "The Woman", o juvenil sai sem entender nada. E ainda acha o filme uma bosta.
Mas o bacana, pelo menos no meu caso, foi assistir antes deste filme o "The Offspring", que conta o começo da história.
Não tem nenhuma novidade nisso, o mundo do cinema está cheio de continuações, mas o caso aqui é o seguinte: Repare que "The Woman", em nenhum momento" é chamado de "The Offspring 2".
Lembra do "Sexta Feira 13"? Teve várias continuações, e o roteiro do filme era sempre o mesmo: A juvenilzada vai arrepiar na beira do lago, chega o maníaco mascarado e créu. Só sobra uma vítima no final, que sofre pra buné mas acaba matando o lazarento, e aí, na última ceninha antes dos créditos, o Jason pula da água e puxa a infeliz para o inferno.

Agora, imagina o seguinte, você assiste o "Sexta Feira 13" e no final não explica como aquele retarda gigante consegue alcançar todo mundo mesmo andando com uma calça justa prensando o saco.
Beleza, acabou o filme, o Jasoneta passou o rodo geral na turma. Aaaaaíííí, uns tempos depois, você assiste um drama sobre esportes, chamado "Vitória Silenciosa", sobre um time de hockey que tem um jogador introvertido, que não conversa com ninguém e nunca tira sua máscara.
"Peraí - você vai pesar - Estão de zueira, esse cara é o Jason, do filme de terror", mas o filme é um drama. Você sabe o tempo todo que o cara é o Jason, o filme mostra até flashbacks do "Sexta Feira 13", mas o filme é um drama, e, não se sabe por que, o mongol do Jason não está matando ninguém!
Com "The Offspring" e "The Woman" é maaaaaaaaaaaaaaaaaaais ou meeeeeeeeeeeeeeeenos isso que acontece.


"The Offspring" é um daqueles filmes de terror trash, cheio de clichês e de efeitos podres. De repente, bateu uma luz roxa no lado esquerdo do cérebro doentio do Jack Ketchun (primo do Ash, que caça pokémons), e ele decidiu fazer um drama com um dos personagens deste filme.
É um filme chato até a metade, que só se sustenta pelo absurdo de trazer uma personagem do filme anterior e pela suspeita de que ela não é a única perturbada na história. O filme vai crescendo e o final arregaça tudo.
Moral distorcida, questionamentos e nenhum pudor.

Sobre as críticas da trilha sonora não ter nada a ver com o filme, o diretor Jack Ketchun falou que o filme é dele e ele coloca a música que ele quiser.



Nenhum comentário:

Postar um comentário