sábado, 8 de fevereiro de 2014

Byzantium: Vampiros de Chtulhu

Não tem nenhuma citação de Chtulhu no filme, mas o modo como esses vampiros são criados bem que poderia fazer parte do universo Lovecraftiano. A história começa como um drama familiar, e aos poucos a verdade vai se revelando. O filme mostra como se pode fazer um filme romântico com a temática vampiresca sem ser um exercício de tiazona ociosa.

Outra lição que o filme dá é a releitura do mito. Para ilustrar uma dessas diferenças, um pequeno spoiler que aparece logo no começo: O que cresce e fica pontiagudo não são os dentes caninos, mas a unha do polegar. Assistindo o filme, acaba fazendo todo sentido. A trama se desenrola como um drama, com as personagens contando aos poucos seu passado em comum, e quando a verdade se revela, você, jogador de RPG, ganha um PAAAATCHA dum cenário para novas aventuras com esses seres mitológicos. Sem entregar surpresas, até escolhi um trailer sem legenda, tente não traduzir para curtir ainda mais as revelações da história.
O filme começa parecendo um drama lésbico, mas não desista,fica melhor a cada unhada. Eu assisti por dica do Pokoloko, ele falou: "É um filme de vampiro diferente, com a mesma atriz do "Hanna" vai e assiste". Não queira saber mais, assista. E depois é só jogar nesse novo mundo vampiresco, talvez de Chtulhu também.

Quer um sistema de regras para montar esse cenário? Tá aqui:

Nenhum comentário:

Postar um comentário