quarta-feira, 29 de outubro de 2014

E a Fábula de Hoje é: Richelieu e os Juncos

Em uma tarde de verão, o Cardeal de Richelieu saiu de seu mosteiro para um passeio pelo bosque do rei.
Soprava uma brisa suave, favorável à caminhada, e o cardeal acabou se aprofundando em um recanto do bosque que ele não conhecia.
A noite começou a cair, e a vegetação florida do bosque deu lugar a uma mata sombria. Os pássaros cessaram seus trinados, e à distância eram ouvidos sons que o Richelieu não conseguia identificar.
Ele achava que estava voltando para o mosteiro, mas não tinha certeza, pois não conseguia ver trilha alguma.
A suave brisa não soprava mais, mas ainda assim algumas moitas se mexiam, e uma dessas moitas era mais alta, era uma moita de juncos, que disseram:
- Foda-se.




Moral da História:

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A Fábula de Hoje é: A Formiguinha e os Juncos.

Certa manhã de inverno, uma formiguinha saiu para o seu trabalho diário.
Já ia muito longe a procura de alimento, quando um floco de neve caiu e prendeu o seu pezinho.
Aflita, vendo que não podia se livrar da neve, iria assim morrer de fome e frio, voltou-se para o sol e disse:

- Ó sol, tu que és tão forte, derrete a neve que prende o meu pezinho!

E o sol indiferente nas alturas, falou:

- Mais forte do que eu, é o muro que me tapa.

Olhando, então para o muro, a formiguinha pediu:

- Ó muro, tu que és tão forte, que tapas o Sol que derrete a neve, desprende meu pezinho.

E o muro que nada vê e muito pouco fala, respondeu apenas:

- Mais forte do que eu, é o rato que me rói!

Voltando-se então, para um ratinho que passava apressado,  a formiguinha suplicou:

- Ó rato, tu que és tão forte, que róis o muro que tapa o sol que derrete a neve, desprende meu pezinho.

O rato se assustou ao ouvir uma formiga falante, e pulou no meio de uma moita de juncos, que disseram para a formiguinha:

- Foda-se.




Moral da História:

domingo, 19 de outubro de 2014

Uma rápida análise sobre a situação econômica atual.

- Ei, me empresta uma moeda de um real?
- Tá aqui.
Voltou do banheiro e devolveu a moeda.
- Ué, usou pra que?
- É que por quinze centavos eu não iria enfiar a mão na privada.


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Fábula de Hoje: O Macaco e os Juncos

Um macaco estava pulando de galho em galho quando levou um tiro de um caçador.
Ele caiu dentro de uma moita de juncos, longe da visão do caçador.
O macaco estava morto, portanto, não falou nada, e ainda assim, os juncos responderam:
"Foda-se"



Moral da História:

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

A Fábula de Hoje é: "O Carvalho e os Juncos"

Um grande carvalho, ao ser arrancado do chão pela força de forte ventania, rio abaixo é arrastado pela correnteza.
Desse modo, levado pelas águas, ele cruza com alguns juncos, e em tom de lamento exclama:
"Gostaria de ser como vocês, que de tão esguios e frágeis, não são de modo algum afetados por estes fortes ventos."
E eles responderam:
"Foda-se"


Moral da História: