sábado, 9 de maio de 2015

sábado, 11 de abril de 2015

Kinder Ovo levanta ações da Petrobrás.

Uma ação em conjunta da Ferrero com o Ministério da Fazenda Brasileiro começa a recuperar a Petrobrás.
Na sexta passada, o ministro Joaquim Levy autorizou a negociação direta entre a estatal e a fabricante do famoso "mini ovo de páscoa".
A partir do próximo mês, cada kinder ovo trará uma ação da Petrobrás como surpresa. Além da função didática de inserir crianças na prática da especulação financeira, a grande quantidade de ações compradas pela Ferrero já começa a levantar o valor dos papéis na Bolsa de Valores.
E o engajamento da ação vai além das simples ações. Uma quantidade limitada de ovos trará cargos na gerência da Petrobrás que poderão ser ocupados temporariamente pela criança. Ela nem precisará fazer nada, só precisará assinar algumas autorizações. Pode assinar até com desenhos.

terça-feira, 17 de março de 2015

Solução do mistério dos protestantes que não eram da elite branca

Uma imagem intrigou as redes sociais no último final de semana. No meio de imagens de protestos realizados por uma elite branca, essa foto foi divulgada e levantou várias dúvidas:
Tais imagens não fazem sentido algum, afinal, os indivíduos que aparecem carregando esses cartazes de orientação ultra-direitista não parecem ser membros da distinta elite branca brasileira, aliás, um deles com certeza não é da elite "branca".
Seria isso uma farsa? Estariam essas pessoas sob influência de R$30,00 e um pão com mortadela?

Depois de muita polêmica, finalmente surge uma explicação, vinda da inteligente dedução do líder do PT na Câmara, Sibá Machado.
Ele públicou em sua página do FaceBook o seguinte estudo: "Suspeita: Que a CIA esteja coordenando a Campanha pelo enfraquecimento dos governos da América do Sul 'não alinhados', tal como fizeram para instalar as Ditaduras Militar nos anos 60. A 'Orquestra é completa'!
Essa conclusão faz todo o sentido, afinal, como podemos confirmar em filmes como "Triplo X" e em séries como "Alias", a contratação de pessoas negras pela CIA é totalmente plausível.

Parabéns a todos os 18 mil eleitores do Acre que colocaram esse cientista político internacional para abrilhantar com sua inteligência a nossa câmara de deputados.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Tom Clancy e o "Joystick do Prazer"

Infelizmente, só comecei a ler em 2014 alguma obra de Tom Clancy.

Antes disso, o mais próximo que cheguei dele foi o filme "Caçada ao Outubro Vermelho" baseado em seu livro de mesmo nome.
Só recentemente, ouvindo um podcast, fiquei sabendo do regaço que esse filme causou no meio militar, pois alguns civis nerds de tecnologia militar ouviram um figurante da tripulação do submarino utilizando um termo técnico no plano de fundo, aquelas falas utilizadas apenas para ilustrar a cena, e conseguiram concluir qual era a tecnologia secreta que os militares estavam utilizando na época em seus submarinos.
Ainda mais impressionante é o fato de que Tom Clancy também era (morreu em 2014) apenas um nerd, que chegava a conclusões impressionantes cruzando informações públicas sobre vários assuntos.

No livro "Jogos de Estado", uma das personagens está trabalhando em uma empresa de tecnologia que está desenvolvendo mapas interativos, onde o viajante pode entrar com o local de partida e o local de destino, e o programa indica a melhor rota, além disso, o programa conta com imagens das ruas, que mostram como são os arredores de cada ponto por onde o viajante vai passar.
Nada original, uma cópia deslavada do "Google Maps" integrado ao "Google Street View".

Mas, na verdade, estamos tão acostumados com algumas tecnologias que achamos que ela existe desde muitos anos atrás.
O Google Maps começou em 2005, e o Street View foi implementado em 2007.
"Jogos de Estado" foi publicado em 1996.
Tom Clancy adiantou em mais de uma década essa ideia do Google.

Uma invenção que os gamers acham que sempre fez parte de suas vidas foi a vibração do controle.
Na verdade, ultimamente, essa implementação dos controles é até ignorada: Depois da primeira tremida, nem percebemos mais as chacoalhadas quando continuamos a jogar.
Assim como a leitura de Tom Clancy, passei a jogar videogame em console somente em 2014. Depois do SuperNintendo (e vão mais de 10 anos aí) eu só jogava videogame em computador.
Com a chegada de um videogame aqui em casa (que é o real motivo do fim do IRPGCast, conforme foi prometido na campanha "IRPG Esperança"), passei a experimentar o brinquedo.
Apesar de muitos dos jogos serem os mesmos, os controles do videogame eram diferentes, e até mesmo complicados para um "macaco velho" de mouse e teclado. Além do desafio dos dois manches direcionais, o pad seletor, os quatro botões de ação (esses são os mais fáceis), os dois gatilhos e os dois botões de gatilhos, existe a dificuldade absurda de posicionar a mira utilizando um dos manches direcionais no lugar do mouse.
Mesmo com essas dificuldades, estou me divertindo muito com o novo brinquedo, tanto que até parei de jogar no computador, e jogo os mesmos games de antes no XBox 360.

Voltando a falar de Tom Clancy, no livro "Jogos de Estado", de 1996, aquela mesma empresa que estava desenvolvendo o "mapa interativo" também estava desenvolvendo um "chip" que seria colocado nos videogames, e esses chips geravam vibrações capazer de gerar sentimentos subconscientes no jogadores para simular o sentimento dos personagens nos jogos.

O primeiro controle com a função de vibração, o "Dual Shock"em 1997.