terça-feira, 2 de setembro de 2008

Vivemos em um mundo imperfeito.

Não é legal aquele plano com umas três fases, com vários elementos simultâneos ocorrendo, um encadeado ao outro? Todas as peças se encaixando, e no final os policiais chegando ao mesmo tempo em os traficantes, conincidindo também com a ativação da bomba genética no bueiro, gerando uma mutação em cadeia na área, fazendo com que a área precise ser isolada liberando completamente a entrada no escritório secreto dos arqui-templários.
É, é muito legal, mas tanta precisão pode parecer... falsa.
Muitos jogam RPG para passear por um mundo idealizado, mas um pouquinho de realidade pode incrementar a qualidade do jogo.
O pneu do carro de fuga fura assim que o bando chega para o assalto. Uma tempestade se forma justo no dia da batalha. A bateria do visor infravermelho acaba no meio da missão. A rocha com a inscrição do templo ficou exposta à chuva por todos esses séculos, e sua inscrição ficou completamente apagada.
São eventos (rolados secretamente atrás do escudo do mestre com "livre interpretação") que podem apenas dificultar um pouco mais a coisa para os jogadores ou, até mesmo, mudar completamente o rumo da aventura, transformando uma missão de ataque em uma fuga.

Um comentário:

  1. Existe um site em ingles muito interessante, ele possui uma coletânea de PLOTS batidos, recorrentes em todo o tipo de jogos. É um bom "guia" pra iniciantes, e mestres experientes também podem se beneficiar, pois podem planejar de antemão situações inusitadas que podem ocorrer por conta da rolagem dos dados.

    http://www.io.com/~sjohn/plots.htm

    ResponderExcluir