quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Meus alunos são Black Blocs

Não é nem com orgulho nem com arrependimento que reconheço que os meus alunos são Black Blocs.
São adolescentes que passaram pelo ensino fundamental e pelo ensino médio empurrados pela progressão continuada, com professores que não tinham condição alguma de passar seus conteúdos em sala de aula.
Na escola eles aprenderam a desrespeitar autoridades, quanto maior o desrespeito, maior era a "moral" que ganhavam com a turma; e como sempre, nenhuma punição.
Aprenderam também a se tornarem vagabundos. Perceberam que, mesmo sem responder nem mesmo um exercício de múltipla escolha, eles passariam de ano do mesmo jeito que aqueles "otários" que entregaram todos os trabalhos do bimestre.
Aprenderam também que o estado é obrigado a suprir todas as suas necessidades. Ganham material e mochila; podem rabiscar as paredes, pois no ano que vem elas serão pintadas; podem fazer guerra de comida que no dia seguinte continuará tendo merenda; podem esquecer seus livros em casa, pois de algum lugar surgirão outros para ele (não) acompanhar a aula; podem rasgar folhas do caderno para fazer bolinhas, e acabando a munição podem ganhar um novo caderno.
Saindo da escola e encarando a realidade, eles descobrem que não existe lugar para eles nesse mundo.
Saem do emprego logo na primeira vez em que a atenção deles é chamada, acham um absurdo não poderem entrar no serviço na hora que bem entenderem.
Acham que é obrigação do mundo pagar um salário para eles, independente do que eles façam.
São arrogantes, não leem nada porque acham que sabem de tudo.
Não sabem construir, só sabem destruir. Não sabem o que reivindicar, só querem protestar. Não estão preparados para se enxergar como indivíduos, só se sentem fortes quando fazem parte de alguma turma.
São esses os meus alunos. É essa a geração que uma educação indigente e mentirosa conseguiu entregar para a nação. O país precisando importar qualquer tipo de mão de obra, de médicos a pedreiros, pois a única coisa que a escola está formando é uma horda de desempregados revoltados.
Uma geração inteira deste país está perdida, não serve para nada, uma multidão de inúteis protestando por uma utopia doentia, buscando um mundo onde se ganha a vida girando o caderno na ponta do dedo e mandando o professor se fuder.



9 comentários:

  1. Desculpe mas vocês estão marginalizando os BBs de forma a deslesgitimar uma luta e isso é reacionario demais para min.
    Alegar que uma geração inteira está perdida é banal e não representa meus alunos.
    Além disso, enquanto libertario devo dizer que não reconheço seu posicionamento sobre os BBs. Eles demonstram um posicionamento bastante conservador e é justamente o que se está combatendo.

    ResponderExcluir
  2. Que Luta? Que legitimidade e sobre o que ? Fazem barricada e nem sabem para quem! São um bando de Retardados sim! E como texto claramente expões, quem estuda é o otário. Onde foi que ele disse que toda a geração é inútil? Essa massa blackbostas vai levar a mais desgraça é isso que está dito! Queimar ônibus com pessoas dentro por algo que supostamente é "direito de reivindicação" é o que é certo né?; E ir atrás dos vagabundos que corrompem o brésil nem um pio! Relaxa e goza otário, pois tu gosta é de uma goz#$@ black-punk no teu digníssimo cu! Vai ler Bakunin antes de falar merda! Se houvesse Anarquista de verdade nesse pais não ia ter esses comunalhas na rua e seus paspalhos bate-testa para destruir as coisas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Identifique-se e eu te respondo. A covardes não dou pelotas.

      Excluir
    2. kkkkkkkk e Back-bosta é o que? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Comédia! Vá responder a casa do Ca#@#@! kkkkkkkkkk

      Excluir
  3. Sou professor e concordo totalmente. Você resumiu bem a coisa toda. Nem quero ver como vão ser os próximos anos com toda a população nesse nível.

    ResponderExcluir
  4. @Sonado: Os Black Blocs são conservadores? Tipo "Tradição, Família e Propriedade"? Ou mudou o significado desta palavra? Ou estou sendo trolado para largar a mão de ser xarope e voltar a falar de RPG?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Definitivamente eles não são e nem foi isso o que eu falei. Pelo contrário, são uma pratica de pessoas que habitualmente estão bem opostos a isso.

      Excluir
  5. Qual escola? Não estão falando dos depósitos de crianças e adolescentes que nada ensinam, estão? A educação no Brasil transformou-se em um festival de faz de conta, os professores fazem de conta que ensinam, os alunos fazem de conta que aprendem, o estado faz de conta que está tudo bem e passa o aluno para o próximo ano, e assim chegamos ao ponto de presenciarmos alunos de ensino superior sem capacidade de interpretar textos simples. Uma legião de semi analfabetos, cortesia de um sistema que parece considerar crime gravíssimo um aluno repetir de ano e um absurdo o professor ser respeitado em sala de aula. O texto está correto, ou voltamos a ensinar, premiando o empenho do bom aluno e punindo o péssimo comportamento em sala de aula ou podemos nos preparar para dias ainda piores.

    ResponderExcluir
  6. Gosto do texto também. O desabafo do Roj é o desabafo dos professores de escolas públicas que ainda se preocupam com o ensino e se encontram constantemente decepcionados por lutar contra moínhos de vento.
    Quanto ao movimento citado no texto, consigo ver também a conexão entre a falta de uma educação de qualidade e a revolta traduzida em atos de vandalismo sem sentido.
    @Fernando, a progressão continuada é ótima para criar números positivos. Esse tipo de "maquiagem" tem se tornado marca registrada da governança petista, que tem aplicado muito bem esse conceito nos indicadores econômicos. No final do dia, a impressão que se passa para quem está no exterior é que o Brasil é o país das Maravilhas ou o colosso de Rodes, a resposta para todas as mazelas do planeta Terra.
    Os protestos comecaram no Brasil uns 2-3 meses atrás, impulsionados pelo pessoal do movimento passe livre. Em seguida, toda a sociedade sentiu a necessidade de protestar por condições melhores. Mesmo sem saber exatamente o que queriam ou sem concordar completamente entre eles, todos estavam nas ruas: jovens, pais de família, aposentados, desempregados, trabalhadores, etc... Naquele momento, foi até engraçado ver o desespero que se espalhou em Brasilia, na tentativa de "entender" os protestos e controlar a situação. Bom, quando os protestos violentos e vandalismo sem sentido começaram, as manifestações perderam o apoio da sociedade e o problema que o governo tinha em mãos acabou. Então eu pergunto... esse tipo de protesto foi benéfico? Qual é a mensagem que o vandalismo sem sentido traz? A sociedade brasileira se beneficia da anarquia? Existe revolução (ou evolução, como preferir....) social sem educação e reflexão? Existe avanço sem um esforço coordenado e bem pensado?

    ResponderExcluir