quinta-feira, 5 de maio de 2011

Como ser um vilão melhor, com Osama Bin Laden.

Vilão de jogo de RPG costuma ter apenas o status de "chefe-de-fase", e quando fala, é só para repetir alguma ameaça, daquelas que ocupam uns três quadrinhos de uma cena de briga em um gibi da Marvel.
Toda essa "vilania" acaba deixando o vilão muito superficial, algo que "foi feito para ser vilão", e não uma ameaça real para os personagens.
Todo vilão tem que ser herói de sua própria história. Ninguém quer jogar o "jogo da vida" somente para ser um obstáculo a ser vencido pelo adversário.
Uma mudança de ponto de vista pode colocar um vilão como sendo um herói, como Tiradentes, que antes da proclamação da república do Brasil, era visto pela história como um projeto de terrorista mineiro.

Um personagem, seja ele vilão, herói ou apenas um camponês, tem suas crenças e seus objetivos.
O ex-ditador do Egito, Hosni Mubarak, deposto por uma revolução civil e pelo clamor mundial, já era tido como vilão desde muito antes. Em 1995 um grupo rebelde tentou assassinar este tirano, e entre os líderes deste grupo estava Osama Bin Laden!
E não foi só dessa vez que Osama estava do lado dos mocinhos: Antes disso, durante a Guerra Soviética no Afeganistão, Osama e os Mujahideen estavam recebendo armamentos e até orientações da CIA para expulsarem os malignos comunistas de suas terras. Até o Rambo deu uma passadinha de lá para ajudar a galera enquanto salvava o Coronel Trautman de um sequestro (vai saber o que o Coronel Trautman estava fazendo no afeganistão).
O prórpio presidente Reagan elogiou os Mujahideen como "Guerreiros da Liberdade".

E alguns anos depois, o líder rebelde, parceiro dos Guerreiros da Liberdades, amigo do Rambo, causa o maior assassinato civil (2.996 mortos) da era moderna; depois dos assassinatos civis causados pelas bombas atômicas de Hiroshima (~140.000 mortos) e Nagasaki (~80.000 mortos).
O que será que aconteceu com esse personagem?
O que ele viu, descobriu ou acreditou para tomar tais atitudes?
A vingança é capaz de dar um objetivo obsessivo para qualquer pessoa, podendo transformá-la em um herói incansável ou em um vilão incansável.
O próprio Capitão Gancho, tido como o mais cruel dos vilões do universo fantástico, pode ser visto também como uma vítima de bullying, que se obrigou a dedicar todas as suas forças e seus recursos para se vingar da criança com superpoderes que decepou a sua mão e a jogou para um crocodilo enquanto brincava de "bater nos piratas" com seu bando de amiguinhos pivetes que fugiram de casa.

E além disso, um vilão nem sempre está sozinho, geralmente existem outras pessoas, e muitas, que também acreditam nos mesmos conceitos seguidos pelo vilão.
Victor Von Doom, o rei da Latvéria, é amado pelo seu povo. O Quarteto Fantástico e o pessoal da SHIELD estão sempre frustrando seus planos de conquista e o chamando de vilão da humanidade, mas ainda assim, seu povo acredita nele. Mesmo levando uma vida miserável. Talvez porque essa vida miserável seja causada por uma série de embargos econômicos que tenham sido feitos contra o país.
Osama Bin Laden tinha toda uma rede de colaboradores e toda uma população civil que o considerava um herói, um símbolo de tudo o que eles queriam ser, uma figura tão importante quanto Gandhi, Papa João Paulo II ou John Wayne são para outras culturas.
Mesmo morto, sua imagem continua forte entre esse povo, podendo ficar mais forte ainda agora que atingiu o nível de mártir.


Quer um vilão melhor?
Pode ser alguém com um motivo de vingança muito forte, alguém com uma cultura diferente, alguém com um objetivo diferente, ou, até mesmo, alguém com o mesmo objetivo.

Tente lembrar quais vilões de seus jogos realmente se tornaram memoráveis.
Foram os que proporcionaram melhores lutas ou melhores interpretações?

Nenhum comentário:

Postar um comentário