quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Cinco são mais eficientes do que cinco mil: Um estudo sociológico sobre legislação e atitude.

O interior paulista foi marcado, recentemente, pelo descarrilhamento de vagões de um trem, que resultou na trágica morte de oito pessoas que participavam de uma festa doméstica no final de semana.

Jardim Conceição, em São José do Rio Preto, dia 24/112013

A tragédia gerou grande comoção popular, com debates na câmara dos vereadores, explicações da responsável pelo trânsitos de trens (América Latina Logística) e repercussão por todas mídias do interior paulista.
Porém, não só os acidentes com trens interferem na rotina urbana: grandes composições, que beiram uma centena de vagões, atravessam importantes ruas de várias cidades várias vezes por dia, bloqueando o trânsito por até 20 minutos, e não são raros os momentos em que o trem para, bloqueando o trânsito por tempo indefinido.


Com certeza, bem mais do que cinco mil pessoas estão esbravejando aos quatro ventos, cobrando a retirada de linhas férreas de áreas urbadas, abaixo assinados pedindo construções de viadutos sobre os trilhos, exigindo providências, denunciando em programas de tv e tudo o mais.
Mais do que cinco mil cidadãos, tentando das mais variadas maneiras, por mais do que cinco anos, e a situação permanece imutável.
Porém, o máximo que esses cinco mil fazem é falar e assinar.

Bastariam cinco, com uma atitude, para resolver esse problema em cinco meses.
Cinco que passassem do parlamento legal para a atitude ilegal: a destruição.


Com as ferramentas corretas, apenas cinco pessoas seriam capazes de destruir os trilhos em regiões urbanas, em trechos afastados de residências.
Um descarrilhamento a cada cinco dias, em diferentes cidades, causados por apenas cinco pessoas.
Quanto prejuízo a ALL suportaria antes de investir o dinheiro que, com certeza, seria gasto em futuros descarrilhamentos, no desvio dos trilhos ou construções de passagens que não atrapalhem a rotina urbana?


Isso seria correto?
Ou é correto apenas aquilo que respeita a legislação?
A legislação é um conjunto de leis, criadas por membros de uma sociedade, para definir os procedimentos que devem ser adotados nas mais variadas situações para que se chegue a uma solução justa.
Mas e quando a legislação, além de não resolver problemas, serve apenas para transformar a justiça em prostituta nas mãos daqueles que podem pagar por ela? Quando a legislação é incorreta, é correto seguir a legislação?

Grandes mudanças históricas foram conseguidas por meio de atitudes, e não por meio de obediência à legislação.
Todos os feriados cívicos brasileiros homenageiam momentos em que as leis foram quebradas (ou momentos em que se tentou quebrar a lei).
O que faz o mundo seguir adiante são atitudes, e não apenas palavras, afinal, o que é uma ofensa verbal perto de um soco na sua cara?


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Excomunhões, Trapaças, e Dois Canos Fumegantes

Já pensou numa trama com idolatria, excomunhão, genocídio, vingança, trapaça, vingança, ódio, sangue e esperança?

Com tanta história em nosso sujo passado nacional, por que a turminha insiste em ficar fazendo filminhos babacas sobre o jeitinho malandro brasileiro?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Dia da Consciência Negra Coletiva

Mais do que um dia de comemoração, o Dia da Consciência Negra é um dia de reflexão sobre as desigualdades raciais e medidas que devem ser tomadas para corrigir erros históricos.
Muitas injustiças foram cometidas no decorrer da história da humanidade, e a situação caótica em que vivemos é resultado dessas atitudes do passado.
O governo brasileiro, em uma iniciativa inédita, começa a melhorar o mundo em que vivemos promovendo a igualdade de condições por meio de cotas e promoções para aqueles que tiveram um passado desfavorável.
Para acertar todos os ponteiros da nossa história, várias outras medidas deveriam ser tomadas, e o dia da Consciência Negra é a data ideal para nos conscientizarmos e exigir de nossos governantes as seguintes providências:

Cota para Brasileiros em cargos públicos portugueses.
Portugal explorou não só as riquezas naturais da nossa terra, como também, o trabalho de muitos brasileiros, exigindo um quinhão injusto do Brasil colônia. Não podemos deixar em vão a morte de Tiradentes, e devemos lutar pelo nosso justo direito de recuperar essas riquezas em cargos públicos de Portugal.

Cota para Índios no Plenário Federal.
Os indígenas são, reconhecidamente, os proprietários originais desta terra que habitamos. É vergonhoso reconhecer que eles não tomam parte nas decisões do que é feito nesse país, que é deles por direito de uso. Vamos lutar para que pelo menos 30% das vagas do senado e da câmara federal sejam reservadas para índios.

Devolução de Terras Africanas.
É sabido que os escravos negros não vieram para o Brasil por opção, eles foram arrancados à força de suas terras. É uma questão básica de justiça que essas terras sejam devolvidas para os descendentes desses tribais africanos. Um estudo genealógico e geográfico deve ser feito imediatamente para que os afrodescendentes brasileiros possam ocupar as terras que são deles por direito legítimo.

Indenização das Tribos Africanas.
Os navegadores compravam os escravos nas terras africanas, ou seja, eles negociavam os negros como se fossem uma mercadoria qualquer, com custo de compra e lucro de venda.
Quem agia de violência para capturar os negros de tribos africanas e vendê-los para os navegadores brancos eram os negros de tribos mais fortes, portanto, nada mais justo do que países africanos, estabelecidos com a força dessas tribos, pagando uma indenização a cada brasileiro que tenha sangue negro, nem que seja em 1% do seu código genético.

Cotas para Orientais em Presídios.
Muito se reclama do fato de que uma grande parcela dos presídios seja ocupada por negros ou pardos. Para igualar essas estatísticas, devemos aumentar a quantidade de chineses, coreanos, japoneses ou qualquer outra pessoa de origem asiática nas prisões de todo o país, uma vez que é raridade encontrar prisioneiros de feições orientais em qualquer cadeia do Brasil.


Pense sobre essas demandas e espalhe essas ideias. O Dia da Consciência Negra trata exatamente disso, devemos desigualar as leis para igualar os erros históricos, para que essas tragédias étnicas nunca mais se repitam.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Guia rápido de pintura clássica para jogadores de D&D


e isso é tudo o que você precisa saber para arrasar na fuvest.